jQuery(document).ready(function($){$('#aside .widget-archive > ul').addClass('fancy');});

Camburão da Alegria desfila pela primeira vez em Olinda

Foto: Camburão/Divulgação
Foto: Camburão/Divulgação

A alegria do Carnaval não quer se despedir de Olinda. Neste domingo (05.03), a partir das 11h, será a vez do “Camburão da Alegria” tomar conta, pela primeira vez, das ruas e avenidas da cidade. Comemorando 25 anos de história, o desfile mudou de endereço para oferecer mais infraestrutura e ainda mais empolgação aos foliões. A Prefeitura de Olinda montou um esquema conjunto, envolvendo diversas secretarias, para garantir a tranquilidade da festa do início ao fim.

Com o tema “Olinda Quero Cantar”, o bloco, comandado por policiais e bombeiros militares do Estado, vai homenagear o prefeito Professor Lupércio e o mestre dos bonecos gigantes, Silvio Botelho. A concentração será na Rua do Sol, próximo à Praça Doze de Março, no Bairro Novo. O percurso, de 2,5 quilômetros, seguirá pela Avenida Getúlio Vargas, contando com muito frevo e várias atrações da cultura popular.  De acordo com a Secretaria Municipal de Transportes e Trânsito, 120 profissionais vão trabalhar orientando os pedestres e motoristas.

Serão nove bloqueios móveis e 30 bloqueios fixos para garantir a fluidez do corredor principal e de algumas vias locais. A recomendação é para que os condutores optem por rotas alternativas. Na segurança, 310 policiais militares foram escalados, além do acréscimo no efetivo da Guarda Municipal. Entre as atrações, orquestras de frevo e nomes como o DJ Jadson, Valter de Afogados, Paulo Pecado, Marquinhos Balada, João do Morro e Banda Luará.

A população também vai conferir a atuação da Secretaria de Serviços Públicos, com a instalação de 100 banheiros químicos, reforço na iluminação e a limpeza de todo o trajeto. “Será uma festa linda, muito animada, e que vem para fechar com chave de ouro o calendário da folia em Olinda”, destacou o presidente do Camburão da Alegria, coronel José Almeida.

Quarta-feira com Munguzá, Bacalhau e muita alegria estendem o Carnaval em Olinda

Foto: Thiago Bunzen
Foto: Thiago Bunzen

O clima já é de saudades em Olinda, nesta Quarta-feira de Cinzas, com foliões que não querem deixar a folia acabar. Logo cedo, a partir das 5h, a missão saborosa foi de forrar o estômago para cair no passo, com o tradicional “Munguzá de Zuza Miranda e Thaís”. Não faltou disposição. Em seguida, foi a vez do “Bacalhau do Batata” sacudir as ladeiras do Sítio Histórico, ao som do puro frevo. Uma multidão resistente se concentrou no Alto da Sé, fazendo jus a fama do Maior Carnaval do Mundo.

O engenheiro paulista, Nicola Cursino, 59 anos, não dispensou a fantasia para brincar a festa. Acompanhado da esposa Meiri, 57, ele se encantou com a presença de ingredientes como cebola, tomate, cenoura e próprio bacalhau fresco, todos afixados ao estandarte. “Uma festa linda, original, e que nos obriga a voltar todos os anos”, disse ela. Foi assim também com o grupo de turistas argentinos que se instalou na Cidade Alta para curtir o Reinado de Momo. “Ninguém quer ir embora”, disse a estudante Paola Brim, 27, que liderava o time. A professora Janaina Pascoal, 49, também improvisou na coreografia. “O importante é se divertir”, brincou.

De acordo com a presidente, Fátima Araújo, sobrinha de Batata, a cada edição o bloco se reinventa. “A alegria é enorme, mantendo sempre viva essa memória” disse. O garçom Isaías Pereira da Silva, que morreu em 1993, trabalhava durante o todo o Carnaval e resolveu montar a brincadeira para não deixar o período passar em branco. “Lembro-me de como era apaixonado por tudo isso, esperando ansioso o ano inteiro por este momento”, contou. Para os foliões de Olinda ainda é preciso fôlego para curtir a programação que se estende em diversos locais. Logo mais, a partir das 21h, o ponto alto fica por conta do show comandado por Alceu Valença, no polo Bajado, em Rio Doce.

Polo Erasto Vasconcelos é sucesso de público com shows da cena local em Olinda

Palco montado ao lado da Praça do Carmo recebeu nomes como Eddie, Ave Sangria e Academia da Berlinda e plateia lotou nos quatro dias de festa 

Show de Academia da Berlinda abriu a terça (28). Foto: Daniel Ferreira/ Prefeitura de Olinda
Show de Academia da Berlinda abriu a terça (28). Foto: Daniel Ferreira/ Prefeitura de Olinda

Este ano o Carnaval de Olinda destinou um polo especialmente para a cena musical local. O Polo Erasto Vasconcelos, localizado no Sítio de Seu Reis, ao lado da Praça do Carmo, no Sítio Histórico da cidade. Com programações diárias desde o sábado (25) até esta terça-feira (28), começando sempre no final da tarde, o palco recebeu nomes como banda Eddie, Ave Sangria e Karina Buhr e Isaar.  Ao todo 23 atrações, todas de Pernambuco e, na grande maioria, de Olinda.

Nesta terça-feira (28.02), último dia do polo, quem abriu a programação foi a banda olindense Academia da Berlinda, que subiu ao palco às 16h, seguida das atrações de N’Zambi, Ganga Barreto, Zé Cafofinho, Marcio Oliveira e Banda Víruz.  Diante de uma plateia lotada, a banda se orgulha de tocar no polo. “É como tocar no quintal de casa”, diz o baixista Yuri Rabid. Para o vocalista Tiné, ter um espaço como esse no Carnaval faz toda a diferença. “É massa porque o nosso público é bem maior quando a gente toca aqui”, conta.

O coordenador do polo, Alexandre Miranda, garante que o espaço fez sucesso em todos os dias da folia. “Com certeza tivemos diariamente um público de cerca de dez mil pessoas neste espaço e as pessoas se espalham pelas ruas laterais e pela Praça do Carmo”, contabiliza. O palco contou com uma equipe de produção de pelo menos 25 pessoas, de técnicos a seguranças.

No público, as paulistas, Beatriz Correia e Ingra Domingues, disseram por que quando chegaram em Olinda decidiram brincar nesse espaço. “Encontramos aqui um pessoal diferente de tudo o que a gente viu nas ladeiras, são muito receptivos, tem uma vibe muito aberta, adoramos”, disseram as duas que já tinham conhecido a banda Academia da Berlinda em outro Carnaval e vieram curtir o show.

Bonecos Gigantes passeiam pelas ladeiras de Olinda

O desfile de 90 bonecos, 50 grandes e 40 mirins, levaram alegria para os pequenos e grandes foliões nas ladeiras históricas de Olinda na manhã desta terça-feira (28.02). O Encontro dos Bonecos Gigantes já é tradicional na folia de Momo e nesta 30ª edição foi voltada especialmente para as crianças. O Palhaço Chocolate, homenageado, ganhou duas versões de bonecos: um adulto e outro infantil.

“A nossa responsabilidade é muito grande, os jovens precisam aprender sobre arte, principalmente vivenciando ela, por isso estamos aqui, levando esse bloco para a rua, perpetuando a cultura da cidade”, disse Silvio Botelho, que é o criador do bloco e divide a confecção e manutenção dos personagens principais da festa com sua equipe. E todo esse trabalho tem surtido efeito. Kauã Fábio tem 12 anos já é um veterano do encontro, desde os sete carrega uma figura ilustre do evento. “Eu estou muito feliz de participar, espero o ano todo por esse momento”, conta o jovem. O olindense Klemer da Silva participa desde a primeira edição e esse ano foi escolhido para levar o boneco do Palhaço Chocolate. “É muita emoção, sinto o pessoal, sinto o calor, sinto a música é inexplicável”, disse o profissional.

O Encontro começou no Largo do Guadalupe onde o homenageado alegrou a garotada no Polo Lula Gonzaga, depois seguiu pelo Amparo, Rua do São Bento, teve sua apoteose na frente da Prefeitura e dispersou no Largo do Varadouro. Arrastou milhares de pessoas com sua orquestra e passistas, e, além disso, não teve nenhuma ocorrência negativa. O recifense Humberto Moreira e o seu filho Mathias de cinco anos, participaram do início ao fim e constataram a tranquilidade da folia. “Está seguro, tranquilo e muito animado, meu pequeno está curtindo e eu também”, relatou.