jQuery(document).ready(function($){$('#aside .widget-archive > ul').addClass('fancy');});

Patrimônio da Humanidade

Olinda (PE)

Tombada pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) em 1968 e declarada pela Unesco Patrimônio Histórico e Cultural da Humanidade em 1982, a cidade de Olinda possui excepcional arquitetura religiosa dos Séculos XVI e XVII, como o Convento e Igreja de Nossa Senhora do Carmo e a Igreja de Nossa Senhora das Neves que integra o conjunto arquitetônico do Convento de São Francisco.

Igreja de Nossa Senhora do Carmo. Fonte: Acervo do Iphan/PE.
Igreja de Nossa Senhora do Carmo. Fonte: Acervo do Iphan/PE.

 

Convento de São Francisco. Fonte: Passarinho/Prefeitura Olinda.
Convento de São Francisco. Fonte: Passarinho/Prefeitura Olinda.

O traçado urbano é um acervo a céu aberto de várias épocas da história do Brasil formando um conjunto peculiar e harmonizado pela perfeita integração entre o mar e a vegetação. É essa ambiência paisagística que identifica a cidade ao longo da história. 

Paisagem do Alto da Sé. Fonte: Laila Santana/Prefeitura de Olinda.
Paisagem do Alto da Sé. Fonte: Laila Santana/Prefeitura de Olinda.

A cidade abriga ainda uma rica diversidade cultural, expressa em manifestações populares atualmente reconhecidas em todo o mundo. O Frevo, os Maracatus Nação e Baque Solto, além dos grupos de Caboclinho, vêm compondo e escrevendo a história carnavalesca de Olinda, sendo considerados Patrimônios Culturais do Brasil. Também integram esta lista de bens registrados pelo Iphan no estado pernambucano: a Feira de Caruaru, o Teatro de Bonecos e o Cavalo Marinho.

 

Carnaval nas ladeiras de Olinda. Fonte: INRC Frevo/Acervo IPHAN-PE.
Carnaval nas ladeiras de Olinda. Fonte: INRC Frevo/Acervo IPHAN-PE.

 

Desfile dos Bonecos Gigantes. Fonte: INRC Frevo/Acervo IPHAN-PE.
Desfile dos Bonecos Gigantes. Fonte: INRC Frevo/Acervo IPHAN-PE.